Tumor Renal

Tumor Renal

O câncer renal é o terceiro mais frequente do aparelho genito-urinário e representa aproximadamente 3% das doenças malignas do adulto. É mais frequente em pessoas entre 50 a 70 anos, sendo mais comum em homens.

Existem vários tipos de câncer de rim, porém o mais frequente é o Carcinoma de Células Renais Claras, responsável por aproximadamente 80% dos casos. Outras formas, como Carcinoma Papilar de Células Renais e Carcinoma Cromófobo de Células Renais, são menos frequentes.

Os rins são órgãos vitais e de extrema importância para o funcionamento do corpo. Cada pessoa possui dois rins (direito e esquerdo), que se situam no abdômen ao lado da coluna vertebral e abaixo das costelas. Eles são os principais filtros do corpo humano, sendo responsáveis por eliminar por meio da urina as toxinas prejudiciais ao organismo. Também auxiliam na produção de hormônios e vitaminas que previnem o desenvolvimento de anemia e doenças ósseas, e ajudam a regular a pressão arterial.

O que aumenta o risco?

As causas do câncer de rim ainda não são totalmente conhecidas, mas o cigarro é considerado um dos mais importantes fatores de risco.
Podemos citar também:

  • Tabagismo;
  • Contato com materiais utilizados em indústrias, como o cádmio, asbestos, chumbo e hidrocarbonetos aromáticos;
  • Hemodiálise;
  • Obesidade;
  • Histórico familiar;
  • Hipertensão;
  • Síndromes genéticas como a Doença de Von Hippel-Lindau

Como prevenir?

Até o momento não existe uma fórmula para evitar o seu aparecimento. Como prevenção, então, a melhor estratégia é manter hábitos saudáveis:

  • Parar de fumar: as toxinas presentes no cigarro podem causar alterações no DNA das células e levar a desenvolvimento de tumores
  • Procurar ter uma dieta balanceada, dando preferência a frutas, legumes, verduras, fibras e cereais
  • Praticar atividades físicas regularmente. Os esportes ajudam a eliminar toxinas do organismo que lesionam as células
  • Controlar a pressão sanguínea
  • Evitar contato com substâncias tóxicas, como poluentes. Se trabalhar com esses produtos, usar equipamentos de proteção.

Sinais e sintomas

Em estágios iniciais, o câncer de rim não costuma apresentar sinais ou sintomas, mas quando a doença avança a chance de apresentar alguns dos sintomas descritos aumentam:

  • Presença de sangue na urina
  • Dor lombar de um lado
  •  Massa (caroço) na lateral ou na parte inferior das costas
  • Fadiga (Cansaço que não passa)
  • Perda de apetite
  • Perda de peso
  • Febre
  • Anemia

Atenção: esses sinais e sintomas podem ser provocados por uma série de problemas de saúde, não apenas pelo câncer renal.

Como diagnosticar? 

Grande parte dos tumores renais é diagnosticada por exames de imagem, como ultrassonografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética.
Por não apresentar sinais e sintomas no início, o câncer de rim, geralmente, é detectado por acaso ao realizar exames por um outro motivo. Quando diagnosticado precocemente, o câncer renal tem grandes chances de cura.

Como tratar?

A cirurgia é o único tratamento curativo definitivo para o câncer de rim. Tradicionalmente a nefrectomia radical, ou seja, a retirada completa do rim acometido, era o tratamento indicado para os tumores renais.

Com a evolução dos meios diagnósticos e os achados cada vez mais precoces de pequenos tumores renais, a nefrectomia radical, em boa parte dos casos, não é mais indicada, sendo optada pela nefrectomia parcial. Este tipo de tratamento consiste na retirada do tumor com pequena margem de segurança. Desta forma, há preservação do restante do rim não acometido, mantendo portanto uma porcentagem maior de funcionamento renal sem prejudicar no tratamento do câncer.

Caso seja optada pela cirurgia, esta pode ser realizada pela técnica tradicional, aberta, ou minimamente invasiva, via vídeo-laparoscópica ou pela via robótica. Entre as vantagens das técnicas minimamente invasiva está o fato de ser um método com menor morbidade (menor riscos de complicações como infecção), causar menos dor no pós-operatório e menor tempo de internação, além da vantagem estética (pequenos furos ao invés da grande cicatriz da cirurgia aberta).

Em tumores muito pequenos, a radiofrequência e a crioterapia também são procedimentos utilizados. Em ambos os casos, o câncer é alcançado através de uma espécie de agulha introduzida pela pele, guiada por ultrassonografia ou tomografia computadorizada. Na primeira técnica, há aumento da temperatura do tumor e, na outra, congelamento com destruição do câncer.

Até o momento tratamento com quimioterapia e radioterapia não apresentam resultados satisfatórios. Entretanto, novas drogas mais eficazes para combater o tumor renal vêm sendo utilizadas, como tratamento com imunoterapia, que ajuda no controle e regressão da doença e são a nova esperança no tratamento dos casos mais avançados.

 

 

Atenção: A informação existente neste portal pretende apoiar e não substituir a consulta médica. Procure sempre uma avaliação pessoal com o Serviço de Saúde.